Grupo de Estudos Espíritas Francisco de Assis

 SEGUINDO OS PASSOS DE FRANCISCO


Meus irmãos! Venho aqui através dessas humildes linhas falar para vocês um pouco de Francisco de Assis e da sua cidade. 

Tenho passado inúmeras vezes por aquela pequena cidade que abrigou nosso querido irmão, e cada vez que la me encontro, eu vejo ambientes novos, vivo emoções variadas e sempre me surpreendo com o presente da espiritualidade. Não sei ainda o que me falta descobrir em Assis, Santa Maria dos Anjos e Rivotorto, mas sei que sempre que la estou vivo novas fortes emoções.

Mas quem era Francisco? Alem dos livros que lemos ou filmes que assistimos, pisar em Assis nos da a alegria de seguir seus passos e nos faz refletir muito do que fazemos e escolhemos viver neste momento atual de nossas existências.

Francisco era um poeta, cantor que exaltava as maravilhas da criação Divina, ele passava esse amor pelo Criador e por todas as Suas criaturas com um simples olhar, um simples sorriso, um simples gesto, humildemente chegava com aquela alegria que transbordava do seu coração por ter a certeza de que ele estava trilhando o caminho escolhido pelo Pai Celeste. Ele transcendia Amor, o Amor do Cristo se fazia visível através de seus atos e palavras. Ele amava a todos e sabia manifestar esse amor profundo de maneira sublime e doce. Cada lugar por onde ele passou ainda hoje é lugar de profundas vibrações de paz, e dependendo do que ele realizou naquele local, nos podemos perceber a energia que vibra, emana e nos é transmitida continuamente! Basta silenciar um momento, e tudo se manifesta com aquela alegria Franciscana.

Caminhar pelas ruas de Assis a noite, com a cidade ainda iluminada pelos lampiões amarelos nos transporta automaticamente ao ano 1200, e se deixarmos nossa imaginação livre, logo vemos Francisco correndo feliz com seus amigos, voltando pra casa depois de uma noite de divertimento nos restaurantes da época, chamadas Tavernas. Todos vão felizes, despreocupados da vida e de fome saciada, voltam ao conforto do lar onde podem repousar tranquilamente seus corpos cansados de festejar. Sim, ele era um jovem exuberante, ele tinha muitos amigos e gostava de divertimento e alegria. Mas logo apos podemos também ver Francisco maltrapilho, caminhando sozinho pelas ruas de Assis, não mais despreocupado como antes, mas em conversa direta com o Cristo, organizando cada possibilidade de poder tocar os corações mais duros e cristalizados da época. 

E Francisco caminha pelas ruas em busca de alguém de bom coração que pudesse lhe oferecer um pedaço de pão para saciar a sua fome do corpo físico, pois a fome espiritual estava mais do que saciada. Feliz! Francisco continuava feliz, por ter a certeza de estar seguindo os passos do Cristo, esse era o seu objetivo maior, e ele sabia que assim saberia sempre usar o correto agir para tocar os corações de todos e nos ajudar na nossa longa caminhada evolutiva. Um irmão dedicado e amoroso, que jamais deixou algum de nos sem uma palavra de conforto ou uma caricia cheia de amor Cristão. 

Francisco olhava a cristalização dos corações humanos da época, e olhava aquela sede de riqueza que a maioria possuía, incluindo o seu próprio pai Pietro Bernardone, e pensou que deveria agir de forma inversamente radical para poder nos ajudar a encontrar o ponto de equilíbrio, para que a gente pudesse enxergar que o dinheiro esta ali para nos servir do necessário e que todo e qualquer abuso seria ato de rebeldia e falta de fé para com o Criador.

Cada local da uma emoção diferente! O Eremo delle Carceri é um bosque nas redondezas de Assis onde ele costumava subir com seu vigor físico e espiritual, na companhia dos seus amigos frades para poder meditar, orar, e falar para todos das maravilhas da Criação e do que o evangelho nos convidava a atuar em nossas vidas. Muitas vezes se fazia tarde e eles se abrigavam em grutas para repousarem, nesse local, onde hoje construíram um convento, podemos ainda apreciar as grutas dos que ali dormiam e podemos receber as energias benfazejas do ambiente natural da Umbria.

A Igreja de San Damiano, local onde ele ouviu o Cristo falar com ele, e o chamado para a sua missão na terra, exala uma atmosfera mística de muita paz e tranquilidade, sem falar no panorama que nos envolve e nos leva automaticamente ao êxtase. 

Essa primeira igreja que ele restruturou, sem terminar, concede aos cuidados da Irma Clara, que la constrói o seu convento das Clarissas. O crucifixo original ainda existe e se encontra hoje na Basílica de Santa Chiara por ter sido ela quem cuidou do crucifixo por toda a sua vida monástica. Na igrejinha se encontra apenas uma copia.

A Porziuncola, a terceira igreja que Francisco restaurou, e foi la que viveu a maior parte da sua missão na terra. Uma Igreja simples, muito pequena, mas que nos transfere aquele ar campestre, mesmo tendo sido enclausurada em uma construção Imponente como é a basílica de Santa Maria dos Anjos, ela ainda transmite a simplicidade dos primeiros Franciscanos. La ainda encontramos o local onde nosso irmão desencarnou, e as famosas rosas sem espinhos que Francisco se castigou quando se encontrou em presa a uma tentação.

O tugúrio, era um local abandonado, onde encontraram para se refugiarem do frio e das intempéries, era um local muito pequeno e Francisco tinha escrito os nomes dos Frades nas traves do pequeno teto e ali eles teriam que se posicionarem para dormir. Era um local mais distanciado da cidade e dificultava o fato deles conseguirem viveres, e sendo assim, Francisco decidia sempre ir la quando pretendia fazer jejuns mais importantes. Uma certa noite um dos frades gritava: - Estou morrendo! E Francisco logo perguntou quem fosse e porque estava morrendo, e o frade falou que estava morrendo de fome. Francisco com aquele amor que o representava, se prontificou imediatamente a preparar uma mesa digna da madona pobreza com o pouco que tinha e convidou todos a romperem com o jejum para que o frade não ficasse constrangido em comer sozinho. 

Não distante do tugúrio, existia uma pequena igreja abandonada que Francisco usou para recolher os leprosos e aliviar as suas dores. Todos os frades se dedicavam a esse serviço renovador para todos os que ali estavam. Era renovador para os doentes e para os que ali com ato de amor infinito ajudavam com devoção amiga a todos os sofredores! Tinha um leproso muito rebelde e xingava sempre os frades, não gostava de nada que faziam para poder aliviar suas dores, um dia os frades o lavaram para o irmão Francisco e ele pediu desculpas se alguém tinha maltratado ele e que ele mesmo gostaria de tomar conta do tal leproso, ele concorda dizendo que tanto o Francisco não tinha nada de melhor do que os outros, Francisco humildemente pede uma bacia de água quente para lavar o doente, e quando ele vai tocando a pele do leproso, automaticamente a pele recuperava a saúde de antes. O leproso ficou tao feliz que se tornou frade, mas com o tempo, vendo que mesmo sendo frade, ele continuava com o orgulho muito forte, uma noite pediu em prece para que Deus beijasse a sua pele novamente com as chagas da lepra, e assim no dia seguinte deixava de ser frade, para voltar ao aprendizado da humildade através da dor sagrada. Morreu feliz o pobre leproso por ter tido a oportunidade de compreender que ele ainda precisava da lepra para se libertar das próprias correntes da sua imperfeição! O leprosário é um lugar pouco visitado, eu passei quase 15 anos para descobrir esse local e ao chegar la eu percebi que é o local talvez de maior importância de todos os episódios narrados da vida de Francisco. La era o local onde ele se dedicava com amor incondicional aos deserdados da época! E la se respira ainda o ar de gratidão por tudo o que ali foi realizado não somente no corpo físico, mas principalmente nas chagas espirituais dos que ali passaram na companhia dos frades e de Francisco! Muito emocionante! E Poucos sabem da sua existência! Porque hoje ainda damos a preferencia de ir ver o despojos físicos de Francisco, e não percebemos que devemos descer no berço da caridade maior que aquele local representa para podermos sentir verdadeiramente as doces vibrações do pobrezinho de Assis que ainda hoje nos transmite as vibrações de Amor que provém do Cristo!

Que vibrações de paz e bem possam envolver todos os corações que pousarem os olhos nesse texto que representa a minha mais sincera gratidão ao Cristo e a Francisco!


Adriana Piccioni.

Filme São Francisco de Assis 

 

Marco Frisina - Laudato si' mi Signore

 

Cântico das Criaturas.

 

                                     Assis: A cidade de São Francisco

 Chicos - Tim e Vanessa

 

Duas estrelas da pobreza
Em dois paletós e um burel
Da bondade a beleza
A Terra espelha o céu
O pequeno de Assis estremece o Vaticano
Toma a cruz, renega a si
O zênite franciscano
Oito séculos de história, Cristianismo é caridade
Lápis, pedra-preciosa, é o Chico da Mediunidade
São dois vasos escolhidos na estrada da humildade
São dois servos à serviço da luz
São dois pobres, são dois ricos, tamanha claridade
Vão trazer no corpo a história do amor
Pelo Cristo,
são franciscos,

09 Chicos.mp3

Make a Free Website with Yola.